quinta-feira, 6 de abril de 2017

Vede que grande amor nos tem concedido o Pai

Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo. I João 3:1

Que precioso verso! Que gloriosa proclamação! Somos filhos de Deus!
O que abriu o caminho para que se tornasse possível esta realidade? O grande amor de Deus Pai! “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai...” Esse não é aquele tipo de amor apenas ‘virtual’ que costumamos a ouvir e logo se dissipa com a menor decepção. Mas, o amor Ágape; o amor sacrificial; o amor condescendente de Deus. O amor que busca o bem eterno do ser amado.
 "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (Jo 3:16) Deus, o Pai, nos tem provado o Seu amor em enviar Seu Filho Amado para ser entregue por nós, porque Cristo é a expressão do Seu amor. Primeiramente não fomos nós que amamos a Ele, mas, sim, Ele nos amou quando não havia nada de bom para ser visto em nós, e nada de bom para ser dito por nós. “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Rm 5:8)
O amor de Deus é sempre sobrenatural, sempre um milagre, sempre a última coisa que poderíamos merecer. Nossa vida inteira esteve exposta ante os Seus olhos desde o princípio. Ele previu todas as nossas quedas, todos os nossos pecados, todas as nossas reincidências. Todavia Ele fixou em nós o Seu coração favoravelmente por meio do Seu Amado Filho. Por isso, nos prostramos em admiração e adoração diante Dele para todo o sempre. “...que grande amor nos tem concedido o Pai...” A única base do amor de Deus é seu próprio amor. Sem quaisquer méritos nos recipientes... Ele nos amou! O Pai nos colocou em Cristo, o Filho do Seu amor, para que nos tornássemos seus filhos, mediante a sua morte e ressurreição.
“Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; e, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos. E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai!” (II Co5: 14; Ef 2:6; II Co 5:17; I Pe 1:3, Gl 4:6) “...e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo.” O mundo é antagônico a Deus, não O conhece. Por essa razão o mundo também não conhece aqueles que são nascidos de Deus, porquanto não conheceu a ele mesmo.

Como é bom o Deus que adoramos,
Nosso Amigo fiel, imutável!
Seu Amor é tão grande quanto seu Poder,
Não tem medida, é infindável!
Vede que grande amor nos tem concedido o Pai!



Levi Cândido





Nenhum comentário:

Postar um comentário