terça-feira, 8 de maio de 2018

A Videira Verdadeira - Capítulo 1 (Andrew Murray)

Prefácio

Tenho me sentido atraído para tentar escrever o que
os jovens Cristãos podem facilmente aprender, como
uma ajuda para eles tomarem aquela posição na qual a
vida Cristã deve ser bem sucedida. É como se não
houvesse nenhuma das principais tentações e falhas da
vida Cristã não encontrada aqui. A proximidade, a totalsuficiência,
a fidelidade do Senhor Jesus, a naturalidade,
a fertilidade de uma vida de fé, são também reveladas,
de forma que alguém pode com segurança dizer:
Permita a parábola entrar no coração, e tudo dará certo.
Possa o bendito Senhor conceder Sua benção. Possa
Ele nos ensinar a estudar o mistério da Videira no
espírito de adoração, esperando pelo ensinamento do
próprio Deus.

Andrew Murray




Capítulo 1

A VIDEIRA

"Eu sou a videira verdadeira” (João 15:1).

Todas coisas terrestres são sombras das realidades
celestiais - a expressão, em formas criadas e visíveis, da
glória invisível de Deus. A Vida e a Verdade estão no
Céu; na terra temos figuras e sombras das verdades
celestiais. Quando Jesus disse: "Eu sou a videira
verdadeira”, Ele nos ensina que todas as videiras da
terra são figuras e emblemas dEle. Ele é a realidade
divina, da qual elas são expressões criadas. Todas elas
apontam para Ele, pregam-NO, revelam-NO. Se você
quiser conhecer Jesus, estude a videira. Quantos olhos
têm observado e admirado uma grande videira com
seu belo fruto! Venha e observe na Videira celestial até
que seus olhos se voltem de tudo mais para admirá-LO.
Quantos, em um clima ensolarado, sentam e
descansam sob a sombra de uma videira. Venha e
permaneça sob a sombra da Videira verdadeira, e
descanse nela do calor do dia. Que regozijo incalculável
no fruto da videira! Venha, e tome, e coma do fruto
celestial da Videira verdadeira, e deixe sua alma dizer:
"Sentei-me sob Sua sombra com grande deleite, e Seu
fruto era doce ao meu paladar.
"Eu sou a videira verdadeira” - Este é um mistério
celestial. A videira terrestre pode ensinar-te muito
sobre esta Videira do Céu. Muitos pontos interessantes
e belos de comparação sugerem-se, e nos ajudam a
adquirir concepções do que Cristo significa. Mas tais
pensamentos não nos ensinam a conhecer o que a
Videira celestial realmente é, em sua sombra
refrescante, e em seu fruto doador de vida. A
experiência disto é parte do mistério oculto, que
ninguém senão o próprio Jesus, pelo Seu Espírito Santo,
pode desvelar e transmitir. Eu sou a Videira verdadeira
- A videira é o Senhor vivo, que fala, e dá, e obra tudo
que Ele tem para nós. Se você quer conhecer o
significado e o poder desta palavra, não pense
encontrá-la pelo pensamento ou estudo; estes podem
ajudar-te para mostrar o que deves receber dEle para
despertar desejo e esperança e oração, mas eles não
podem te mostrar a Videira. Somente Jesus pode
revelar a Si mesmo. Ele dá Seu Espírito Santo para abrir
os olhos para vê-LO, e para abrir o coração para
recebê-LO. Ele mesmo deve falar a palavra para você e
para mim.
"Eu sou a videira verdadeira” - E o que devo fazer, se
quiser o mistério, em toda sua beleza e benção
celestiais, aberto para mim? Com o que você já sabe da
parábola, curve-se e fique quieto, adore e espere, até
que a Palavra divina entre em seu coração, e você sinta
Sua santa presença com você, e em você. A sombra de
Seu santo amor dar-lhe-á a perfeita calma e descanso
de saber que a Videira fará tudo. Eu sou a Videira
verdadeira - Aquele que fala é Deus, em Seu infinito
poder capaz de entrar em nós. Ele é homem, um
conosco. Ele é o crucificado, que conseguiu uma
perfeita justiça e uma vida divina para nós através de
Sua morte. Ele é o glorificado, que do trono dá Seu
Espírito para fazer Sua presença real e verdadeira. Ele
fala - oh, prestem atenção, não somente às Suas
palavras, mas a Ele mesmo, como Ele sussurra
secretamente dia a dia: "Eu sou a Videira verdadeira!"
Tudo que a Videira pode ser para seu ramo, "Eu serei
para ti". Santo Senhor Jesus, a Videira celestial da
própria plantação de Deus, eu Te suplico, revela a Ti
mesmo para minha alma. Permita que o Espírito Santo,
não somente em pensamento, mas em experiência,
faça-me saber totalmente que Tu, oh Filho de Deus, és
para mim a Videira verdadeira.


Assista abaixo ao vídeo correspondente a esse arquivo

> Audiolivro Cristão A Videira Verdadeira Capítulo 1


A Videira Verdadeira - Capítulo 2 (Andrew Murray)


Capítulo II

O LAVRADOR

"E meu Pai é o Lavrador (João 15:1).

Uma videira deve ter um lavrador para plantá-la e
protegê-la, para receber seu fruto e regozijar nele.
Jesus diz: "Meu Pai é o Lavrador. Ele foi "a videira da
plantação de Deus". Tudo que Ele foi e fez, devia ao Pai;
em tudo Ele procurou somente a vontade e a glória do
Pai.
Ele se tornou homem para nos mostrar o que uma
criatura deve ser para seu Criador. Ele tomou nosso
lugar, e o espírito de Sua vida diante do Pai foi sempre
o que Ele procurou que seja nosso também: "dEle, e
por Ele, e para Ele, são todas as coisas". Ele tornou-se a
Videira verdadeira, para que pudéssemos ser
verdadeiros ramos. Tanto com respeito à Cristo como à
nós mesmos, as palavras nos ensinam duas lições de
absoluta dependência e perfeita confidência.
Meu Pai é o Lavrador - Cristo sempre viveu naquele
espírito, em que certa vez disse: "O Filho de si mesmo
nada pode fazer". Tão dependente quanto uma videira
é do lavrador pelo lugar onde deva crescer, pelo seu
cercado, irrigação e poda; assim, também se sentia
Cristo inteira e diariamente dependente do Pai na
sabedoria e força para fazer a vontade do Pai. Assim
como Ele disse no capítulo anterior (14:10): "As palavras
que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o
Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras".
Esta absoluta dependência teve como sua bendita
contraparte a mais abençoada confidência que Ele não
teria nada para temer: o Pai não podia desapontá-LO.
Com tal Lavrador como Pai, Ele poderia enfrentar a
morte e o túmulo. Ele poderia confiar em Deus para
ressuscitá-LO. Tudo que Cristo é e tem, Ele tem, não
em Si mesmo, mas a partir do Pai.
Meu Pai é o Lavrador - Esta é uma bendita verdade
tanto para nós como para Cristo. Cristo está ensinando
Seus discípulos sobre serem ramos. Ele nunca tinha
usado antes a palavra, ou falado de alguma maneira
sobre permanecer nEle ou produzir frutos; Ele voltou os
olhos deles para o céu, para o Pai que lhes estava
observando e tudo trabalhando neles. Na própria raiz
de toda vida Cristã descansa o pensamento de que
Deus está fazendo tudo, que nossa parte é dar e
entregarmo-nos às Suas mãos, em confissão de
absoluto desamparo e dependência, com uma firme
confidência de que Ele dá tudo que necessitamos. A
grande carência da vida Cristã é que, até quanto
confiamos em Cristo , deixamos Deus fora de
consideração. Cristo veio para nos trazer à Deus. Cristo
viveu a vida de um homem exatamente como temos
que vivê-la. Cristo, a Videira, aponta para Deus, o
Lavrador. Como Ele confiou em Deus, confiemos nós
em Deus, e tudo que devemos e temos que ser, como
aqueles que pertencem à Videira, nos será dado de
cima. Isaías disse: "Naquele dia haverá uma vinha de
vinho tinto; cantai-lhe. Eu, o Senhor, a guardo, e a cada
momento a regarei; para que ninguém lhe faça dano,
de noite e de dia a guardarei". Antes de começarmos a
pensar sobre os frutos ou ramos, tenhamos nossos
corações cheios de fé: como a Videira é gloriosa, assim
também é o Lavrador. Como é digna e santa nossa
chamada, assim também é poderoso e amável o Deus
que obrará tudo isto. Tão certamente como o Lavrador
fez da Videira o que ela deveria ser, assim Ele também
fará de cada ramos o que ele deve ser. Nosso Pai é o
nosso Lavrador, e a Garantia de nosso crescimento e
frutificação.
Bendito Pai, nós somos Tua lavoura. Oh, que Tu possas
ter honra das obras de Tuas mãos! Oh meu Pai, eu
desejo abrir meu coração para a alegria desta
maravilhosa verdade: Meu Pai é o Lavrador. Ensina-me
a conhecer e confiar em Ti, e a ver que o mesmo
profundo interesse com que Tu cuidas da Videira e Se
deleita nela, estende-se a cada ramo, a mim também.




Assista abaixo ao vídeo correspondente a esse arquivo


> Audiolivro Cristão A Videira Verdadeira Capítulo 2


A Videira Verdadeira - Capítulo 3 (Andrew Murray)


Capítulo III

A VARA

"Toda a vara em mim, que não dá fruto, [Ele] a tira
(João 15:2).

Aqui temos uma das principais palavras da parábola -
vara. Uma videira necessita de varas: sem varas ela não
pode fazer nada, não pode produzir nenhum fruto. Tão
importante como é saber sobre a Videira e o Lavrador,
é entender o que a vara é. Antes de aprendermos o
que Cristo tem para dizer sobre Ele, vamos
primeiramente captar o que uma vara é e o que nos é
ensinado de nossa vida em Cristo. Uma vara é
simplesmente um pedaço de madeira, nascida pela
videira para um único propósito de servi-lá produzindo
seus frutos. Ela é da mesma natureza da videira, e tem
uma vida e um espírto com ela. Pense um momento
sobre as lições que isto sugere. Há uma lição de inteira
consagração. A vara tem somente um objetivo pelo
qual ela existe, um propósito para o qual ela é
totalmente determinada. Isto é, produzir o fruto que a
videira deseja que seja produzido. E assim, o crente
tem somente uma razão para ser uma vara - apenas
uma razão de sua existência na terra - que a Videira
celestial possa através dele produzir Seu fruto. Feliz a
alma que sabe isto, que nisto consente e que diz: Eu fui
redimido e vivo por uma coisa - tão exclusivamente
como a vara natural existe somente para produzir fruto,
eu também; tão exclusivamente como a Videira celestial
existe para produzir fruto, eu também. Visto que tenho
sido plantado por Deus em Cristo, eu me entrego
completamente à produzir o fruto que a Videira deseja
que seja produzido.
Há a lição de perfeita conformidade. A vara é
exatamente como a videira em todos aspectos - a
mesma natureza, a mesma vida, o mesmo lugar, o
mesmo trabalho. Em tudo isto elas são
inseparavelmente uma. E assim o crente necessita saber
que ele é participante da natureza divina, e tem a
mesma natureza e espírito de Cristo nele, e que sua
única chamada é render-se à uma perfeita
conformidade com Cristo. A vara é uma perfeita
semelhança da videira; a única diferença é: uma é
grande e forte e a origem da força; a outra pequena e
fraca, sempre necessitando e recebendo força. Da
mesma forma o crente é e é para ser, a perfeita
semelhança de Cristo.
Há a lição de absoluta dependência. A videira tem seu
depósito de vida e vigor e força, não para si mesma,
mas para as varas. As varas não têm nada, exceto o que
a videira providencia e nelas implanta. O crente é
chamado para, e esta é sua mais alta bem-aventurança,
uma vida de inteira e incessante dependência de Cristo.
Dia e noite, cada momento, Cristo está para operar
neles tudo que eles necessitam. E então, a lição de
indubitável confidência. A vara não tem
restabelecimento próprio; a videira providencia tudo;
ela tem porém que se render e receber. É a percepção
desta verdade que conduz ao bendito descanso da fé,
o verdadeiro segredo do crescimento e do
fortalecimento: "Eu posso todas as coisas através de
Cristo que me fortalece".
Que vida nos advirá se tão somente consentirmos
sermos varas! Queridos filhos de Deus, aprendam a
lição. Vocês têm apenas uma coisa a fazer: Somente ser
uma vara - nada mais, nada menos! Simplesmente uma
vara; Cristo será a Videira que dá tudo. E o Lavrador, o
poderoso Deus, que fez da Videira o que ela é,
certamente fará da vara o que ela deve ser. Senhor
Jesus, eu oro a Ti, revela-me o mistério celestial da vara,
na sua viva união com a Videira, em sua súplica por
plenitude completa. E que Tua omni-suficiência,
sustentando e enchendo Tuas varas, conduza-me ao
descanso da fé que sabe que Tu operas tudo.




Assista abaixo ao vídeo correspondente a esse arquivo